domingo, 22 de fevereiro de 2009

Domingo


Abro os olhos, sinto o cheiro da comida da minha mãe. A comida dela, me faz lembrar de como ela tem prazer em cuidar de mim, cuidar de nós. De como ela já passou noites acordada só porque eu estava com uma leve febre. Das palavras dela me desejando boa sorte, enquanto eu estava nervoso com uma prova de vestibular. De como ela chora quando eu choro, e de como ela vibra quando eu vibro. Do quanto ela quer me ver feliz, sem saber, que ela é um dos principais motivos de minha felicidade. Felicidade me faz lembrar de meu pai, do que ele fazia para eu dormir quando criança, das piadas muitas vezes sem graça, e repetidas, mas que ele faz com tanto empenho. Do som do violão, das notas repetidas, do mesmo violão que ele me ensinou a tocar. De Gilberto Gil, dos Beatles, de Alceu Valença, de Renato e seus Blue Caps. Me faz lembrar que encima de um palco eu quero ser grande como ele. Grande... tamanho me lembra minha irmã, que é pequena, mas de um amor imensurável. Faz-me lembrar brincadeiras de criança, piadas insanas, horas de risos... dá-me saudades, saudades de tempos passados, mas nunca esquecidos. Afinal, ela está em mim, assim como estou nela. A minha felicidade são os brilhos dos olhos dela, o meu canto é a sua voz me chamando de "nego", e a minha vida é o calor do seu abraço. Abraço me faz lembrar de meu irmão, que dificilmente nos dá um, mas que no fundo, é de um coração incrivelmente bom. Ele me faz lembrar de quanto nós brigávamos, e de quanto nós brincávamos, do videogame à bola. De que foi com ele que comi pipoca pela primeira vez no cinema. E de que hoje sinto falta dele, mas ao mesmo tempo, estou feliz, porque sei que ele está feliz. E tudo isso me faz lembrar que nos domingos nos reuníamos na casa de vovó, e comíamos da comida da minha mãe, ouvíamos as piadas do meu pai, e que minha irmã e eu nos juntávamos para perturbar nosso irmão. E se fomos felizes? Sim, e ainda somos. Porque por mais que o tempo insista em passar, e a distância tenda a aumentar, Domingos há em toda a semana, e é toda semana que continuamos a nos amar.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. obrigada por me lembrar que a felicidade não consiste em "estar junto", mas em "amar junto".

    acho que, às vezes, você lê meus pensamentos...
    meu beijo:*

    ResponderExcluir
  3. Poxa nêgo... só agora eu vir o que escreveu... muito bom eu até choreu de saudade de vcs. Familia é tudo e tudo pra mim são vcs.

    ResponderExcluir